sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Resenha - Médico de homens e de almas

Estimados leitores!

Tenham todos um espetacular dia! Como não ter um bom dia, não é? Hoje é sexta-feira! E sextas-feiras são sempre ótimos dias!

E para que o dia seja ainda melhor, tratemos hoje de mais uma resenha!

E o livro de hoje é belíssimo, muito sensível e que vale muito a pena a leitura: falo da antiga obra "Médico de homens e de almas", da autora britânica Taylor Caldwell, que fora escrita em 1956.

Quem acompanha o nosso blog há algum tempo, sabe que eu e a Mari somos cristãos católicos apostólicos romanos. Já resenhamos inúmeros livros católicos aqui no Cantinho, desde livros que versam sobre Nossa Senhora, biografia a respeito da vida de alguns santos da Igreja e alguns livros sobre o Papa.

Esse é um dos diferenciais do nosso blog em relação as demais páginas. Resenhamos todos os romances de quaisquer gêneros, mas também trazemos aqui em forma de resenha, os livros católicos, o que pouquíssimos blogs fazem! Acreditamos firmemente que num mundo secularizado e carente de ligação com o Sagrado, que esses livros tem sua particular beleza e devem ser apreciados também.

Mas o livro de hoje difere um pouco dos religiosos propriamente ditos. É uma obra com partes fictícias e romanceadas, misturada com a biografia do grande São Lucas, um dos quatro evangelistas.

Feita a pequenina e singela introdução, comecemos a resenha.

O que diz o Skoob:


A Bíblia apresenta São Lucas como o médico de coração generoso, bem instruído e autor de um dos evangelhos e do Livro de Atos. 


Lendas antigas o descrevem como uma pessoa fora do comum, a quem são atribuídos milagres e prodígios antes mesmo de sua conversão ao cristianismo. 

Em Médico de Homens e Almas, Taylor Caldwell combina estas duas imagens de São Lucas, caracterizado pela constante preocupação com o sofrimento de enfermos, oprimidos e pobres. 

A autora pesquisou a vida e as obras de Lucas, e as descreve de forma romanceada num livro de detalhes históricos.

Minhas impressões:

Dos livros que eu já trouxe para o Cantinho, talvez esse seja um dos que mais tenha significado para mim, pois antes mesmo de lê-lo, já tive uma história envolvendo o livro. Conto agora. A minha mãe tinha uma amiga muito próxima, uma pessoa realmente boa, dessas pessoas que a vida nos apresenta e que Deus a retira do nosso convívio muito cedo. Ela se chamava Iza. Eu a conhecia desde criança, já que ela trabalhava na escola salesiana que eu estudava como coordenadora.

A "dona" Iza (chamávamos ela assim na escola) sempre foi uma educadora exemplar (uma das incentivadoras no meu gosto pela leitura) e um ser humano dotado de uma sensibilidade gigantesca. Uma mulher diferenciada, como poucas que andam atualmente por essa terra. Ela foi para junto do Pai em 2012 e todos na minha casa nos lembramos com carinho e saudade quase que diariamente dela.

Há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante... Lá em 2004 eu estava na minha temporada de vestibulares. Fiz todas as provas que um adolescente podia fazer, inclusive o ENEM, que na época ainda era um recém-nascido. E meus pais me acompanhavam em TODOS os exames. Eles ficavam esperando na porta das escolas, durante todas as 4 ou 5 horas de prova. Mesmo com os meus protestos, eles não iam nem para um shopping, tampouco para casa. Pais e mães são assim mesmo! Já estou cansado de ouvir que só vou entender quando eu tiver os meus filhos, mas eu sei que o ciclo vai se repetir.
São Lucas, representado com o Evangelho, que ele escreveu
Na oportunidade em que eu ia fazer uma dessas provas, a dona Iza emprestou para a minha mãe esse livro, tendo ela dito que era um livro lindíssimo sobre a vida de São Lucas, orientando a minha mãe que lesse mais com os olhos da fé e do coração, do que com os olhos do rosto. E a minha mãe assim o fez. Leu e ficou encantada. Leu e se emocionou. Leu e aprendeu sobre São Lucas.

Eu, em meio a questões de geografia sobre globalização, ficando louco com questões de aceleração tangencial na física, e fazendo uma redação enorme, não pude ler o livro. Minha mãe o devolvera logo em seguida ao término da leitura, mas sempre lembrando da linda história apresentada pela autora. Pareceu que o livro marcou a minha mãe e eu só fiquei na vontade e a vontade não passou.

Ganhei esse livro de Natal justamente da minha mãe, que o viu numa promoção e julgou que nós deveríamos ter essa obra na estante. As interações entre as pessoas também influenciam muito na vontade em ler o livro e na sua expectativa com a leitura. E é tão ruim você começar um livro esperando coisas boas e se decepcionar no fim, Não foi o caso desse livro. Por ter sido uma indicação da querida e saudosa dona Iza e pelo fato de a minha mãe já ter lido, eu abri a primeira página esperando ler coisa boa. 

E só vi coisa linda! Fiquei fã da autora e de suas lindas obras. No prefácio, a própria Taylor Caldwell nos revela que escreveu esse livro por 46 anos, mas que o finalizou após uma viagem a Terra Santa com o marido no ano de 1956, quando conseguiu finalizar a terceira parte do livro. 

Já faz quase seis décadas que esse livro fora escrito, amigos! Há 59 anos a autora tem mostrado com detalhes essa bonita história de São Lucas. 
O livro tem três partes
A autora já é falecida há trinta anos. Ela morreu em 1985, mas deixou outro livro que eu estou interessadíssimo em ler. Falei do segundo livro da autora Taylor Caldwell nessa semana, no Top 10 de terça, conforme vocês podem ver aqui. Comprarei "O grande amigo de Deus", que conta a história de São Paulo, grande santo que assim como São Lucas, acreditava que Nosso Senhor viera a esse mundo não apenas para os judeus, mas também para os gentios, para toda a humanidade.

No livro, a autora chama São Lucas pelo seu nome original, Lucano. Lucano nasceu em Antioquia, (atual Turquia), mas considerado como grego na obra. Lucano era filho de dois escravos libertos, Iris e Enéas. Seus pais serviam ao tribuno romano Diodoro, um proconsul romano que tinha características bem humanas, como não sucumbir a devassidão existente em Roma, além de tratar muito bem seus escravos.

Diodoro era a expressão da autoridade da casa. Era o que se chamava de "pater-familias", expressão de maior autoridade na casa. Era o pai, além de magistrado romano. Para São Lucas, filho de dois ex-escravos, as chances de conseguir estudar eram pequenas. Mas a autora conduziu a história a nos mostrar que Deus já olhava por aquela criança.
Foi assim com São Lucas!

Lucano era "companheiro de brinquedos" da pequena Rúbria, filha de Diodoro e os dois logo ficaram amigos. Rúbria sofria da temível "doença branca", que vai minando as energias aos poucos. Supus que a "doença branca" seria uma espécie de leucemia. 

Na casa de Diodoro havia muita influência de diversas culturas. Mesmo sendo romano, tinha escravos gregos, serviçais oriundos de outros povos e muita informação tinha chegado aos ouvidos do menino Lucano.

Lucano soubera na casa de Diodoro, casa que sempre vivera, que havia um Deus, maior do que todos os deuses gregos e romanos. Ele não sabia o Seu nome, mas sabia que ele era poderoso e acima de tudo, misericordioso e bom, o que era totalmente diferente dos deuses até então cultuados.

Em determinada tarde, Diodoro vê o menino Lucano rezando para o Deus Desconhecido, pedindo pela cura de sua amiguinha Rúbria, muito embora todos naquela casa fossem politeístas e seguissem a religião dos romanos. Diodoro fica impressionado com a desenvoltura daquela criança, que falava que o Deus Desconhecido seria tão amoroso que só queria ver o bem dos homens. Lucano entrega a Diodoro algumas plantas e orienta o pai da menina fervê-las e dar a menina, receitando o remédio que poderia livrar a pequenina da "doença branca". Para espanto do governador romano, as plantas fazem bem para Rúbria e Lucano ganha especial espaço no coração daquele tribuno.

Diodoro, o rico mandatário de Roma, pergunta, então para o menino o que ele gostaria de ser quando fosse adulto. Lucano responde prontamente que queria ser médico. Diodoro promete que Lucano estudaria na faculdade de medicina de Alexandria, no Egito, quando tivesse idade para tal. Era a maior universidade de medicina do mundo conhecido até então. 

Enquanto Lucano ainda fosse criança, podia acompanhar seu médico pessoal de Diodoro, o escravo Keptah e aprender tudo o quanto fosse possível a respeito de tratamentos e medicina. E para a educação de sua filha Rúbria, Diodoro comprou um preceptor, um professor grego chamado Cusa. Diodoro, o bom romano, permitiu que Lucano, além de aprender com o médico, também tomasse aulas com Cusa, juntamente com a sua filha.
"Sou um médico desde que nasci"

Enquanto vai crescendo, Lucano vê a Estrela da Natividade quando era ainda menino. De Antioquia, onde vive, Lucano vê a brilhante estrela que guiou os três Reis Magos até a pobre manjedoura em Belém. Lucano sabia em seu coração que aquela luz levava a salvação e que um dia ainda iria encontrá-lo.

Da mesma forma, Lucano, ainda criança, apaixona-se pela sua amiga, sua querida "companheira de brinquedos", Rúbria. Amor de almas, puro. Ele crescia com Rúbria e só o que Lucano queria era o bem dela. Queria vê-la crescer, muito embora soubesse que a doença branca a levaria embora mais dia, menos dia.

Keptah, o velho médico, confidenciara a Lucano que Rúbria não iria sequer chegar a idade adulta. Agora começa a jornada de fé e procura de respostas de Lucano, pois Rúbria morre logo no início do livro. Não é spoiler, é apenas um fato que tenho de contar para que todos possam entender o que se passou com Lucano por boa parte do livro.

"Como esse Deus poderia tirar uma vida como a de Rúbria?", pensava Lucano. Porque vitimar um ser tão bondoso e tão bonito? Lucano queria apenas uma coisa: vingança! Queria tirar das "garras" de Deus todos aqueles que sofrem e devolver-lhes a vida. Ficou cada vez mais revoltado com a morte dela aos 14 anos. Lucano sentia um amor verdadeiro pela menina, a quem ele devotava uma verdadeira fascinação. E essa "vingança" só lhe aguça a vontade de ser médico e ajudar quem sofria.

Agora, eu vos pergunto, estimado amigo: quem na sua caminhada não teve dúvidas? Quem não teve um momento de tristeza diante das misérias humanas e olhou com tristeza para o céu querendo respostas? Na jornada de fé, São Lucas também ficou revoltado com Deus.

E nessa revolta, Lucano experimenta uma contradição enorme: querer ficar afastado do criador, ao mesmo tempo em que é apaixonado pelo homem e sente comiseração pelo semelhante que sofre. Por fora e da boca para fora, São Lucas queria distância de Deus, só que no íntimo ele se alinhava ao Deus no instante em que queria ajudar a todos os doentes.

Crescido, vai estudar medicina na Universidade de Alexandria e tem início a segunda das três parte do livro. Enquanto estuda e aprende as técnicas médicas, mas a sua bondade e compaixão só crescem.

Impressionante a parte em que Lucano cura um outro médico que sofre de lepra. Antes mesmo de ser cristão, antes mesmo de conhecer o Salvador, São Lucas já recebia de Deus a graça de curar pessoas.

Que livro lindo!
Médico de homens e de almas já está na 58ª edição. É ou não é um best-seller?

Após ser laureado na universidade e de volta a sua terra Natal, São Lucas reencontra a sua mãe e seus amigos, mas não criou raízes. Sua vontade é sair pelo mundo e salvar pessoas, curar aqueles que sofrem. Nem que seja com um olhar piedoso. Todos aqueles que sofrem precisam de atenção. É assim desde que o tempo de São Lucas. Porque seria diferente agora? Ninguém suporta um médico que trata mal seus pacientes. Infelizmente, coisa MUITO comum atualmente...

São Lucas viveu pobre, atendia filas de doentes pobres e não recebia recompensas por ajudar quem mais precisava. Entretanto, como considerava o ser humano a coisa mais importante do mundo, atendia aos ricos que eventualmente requeriam sua análise também. Como um bom médico que era, era requisitado pelos ricos também e para eles São Lucas também tinha uma palavra de conforto, muito embora preferisse os pobres.

Durante o livro, São Lucas percebe a verdadeira natureza do Deus Desconhecido e percebe o quão bondoso ele é. Depois de tentar fugir e jurar vingança por anos, decide se entregar totalmente para o Criador, numa das partes mais bonitas de todo o livro, que tem inúmeras partes lindíssimas. Impossível não lembrar das cenas das curas milagrosas feitas por São Lucas, que são partes cheias de enorme emoção. 

Essa parte da sua "conversão" (coloquei entre aspas porque São Lucas já era de Deus desde o seu nascimento. Só ele não enxergava isso) eu não vou contar aqui. Isso cada um deve descobrir lendo o livro. Obviamente, o leitor deve ter a sua própria experiência com o livro e é isso que eu desejo: que todos construam tal vivência, de modo que continuamos com a política de evitar quaisquer spoilers.
Mais um trechinho

Vivendo contemporaneamente com Jesus, sendo apenas alguns anos mais velho que Ele, São Lucas vê a escuridão que acometeu a terra inteira às 15 horas da sexta-feira da Paixão e sente esse episódio. Mesmo sem ter conhecido o Salvador pessoalmente, São Lucas virou adepto de seus ensinamentos e deixou a fé guiá-lo totalmente a partir de sua conversão e com isso, a jornada de fé rumo ao Deus Desconhecido, iniciada na sua infância, encontra o seu ápice. Lembrando que sem nunca ter visto o Mestre! Como não o conheceu pessoalmente, São Lucas teve uma brilhante idéia: escrever toda a história de Jesus, colocar no papel tudo de maravilhoso que Nosso Senhor deixou nessa terra.

Para isso, a fim de escrever a Sagrada história, ele vai até Jerusalém, conversar com as testemunhas vivas da presença do Verbo Divino que habitou entre nós. Essa parte, especialmente, me fez ficar totalmente encantado: São Lucas vai até a Mãe de Jesus para que ela lhe conte todos os detalhes de sua vida!

Como Jesus era quando criança? Como agia e o que sentia? Tudo isso foi respondido por Nossa Senhora, que recebeu Lucano em sua casa. Ele como um repórter, tomava notas de tudo. Inclusive, conta a história da Igreja, que foi para São Lucas que Maria recitou o tão maravilhoso Magnificat, belíssima oração que atravessou séculos e gerações.

Impossível não trazer um trecho do livro para que vocês percebam a nobreza desse livro:

- Como sabes, Lucano - dizia Hillel -, de há muito temos uma profecia que diz que o Messias seria da casa de Davi, e dizem que Jesus é dessa casa. Ouvi contar que a sua mãe foi visitada pelo Anjo Gabriel, que lhe falou no Nascimento do Messias que viria. Mas em Israel, deves verificar essas coisas por ti mesmo.
Lucano pensava na mãe do Messias, cujo nome era desconhecido de Hillel. Uma noite, ele se recordou do que José ben Gamliel lhe contara a respeito dela, quando seu Filho era menino e visitara os anciãos e doutores do Templo. A mais doce e terna das emoções apoderou-se de Lucano. A Mãe de Jesus começou a corporificar, para ele, todas as queridas mulheres que conhecera: Íris, sua mãe, Rúbria e Sara, e sua sensata e infantil irmã, Aurélia, que amava todas as coisas que tinham sido criadas.
Esperava ardentemente estar na presença de Maria, embora não lhe soubesse o nome. Desejava ouvir dos próprios lábios dela, a história do nascimento Dele, Sua infância, Sua juventude e idade adulta. Seguramente, ela poderia contar-lhe mais do que qualquer de Seus seguidores. Guardara o Filho em seu ventre, alimentara-O em seu seio. Ensinara-O a andar, lavara Suas roupas, tecera-as, cosera-as. Afligira-se com as doenças de que O tratara, e sentara-se junto do leito Dele, à noite, vigilante.
Quando Lucano pensava em Maria, uma sede apaixonada de sua presença e de sua voz se apoderava dele, e ele a amara. Ela era o grande Mistério, e era uma mulher, e as mulheres sempre lhe confiavam seus mais profundos mistérios.
- Quando soubermos o que ela pensou, o que ela fez, saberemos tudo - disse ele a Arieh e Hillel.
- Ela foi apenas um isntrumento de Deus - falou Hillel.
- Foi Sua Mãe, e as mães não sabem tudo a respeito de seus filhos? - perguntou Lucano. - E porque aquela mulher foi escolhida para ser Sua Mãe? Há uma razão para que todas as mulheres sejam escolhidas, e ela pode dizer-me.
- E os homens não amam as suas mães? - perguntou Arieh. - Ele não a amou acima de todas as outras criaturas? Não a ouvia ternamente, quando pequenino, quando jovem, quando homem? Sim! 
- Ela é, sem dúvida, a abençoada de todos os tempos - disse Lucano.
Registrou a história do centurião romano Antonio e de seu servo. Registrou a história de Ramo, que vira o Messias erguer um jovem de entre os mortos e dá-lo de novo a sua mãe. Mas a primeira parte de seu Evangelho ele deixou aberta para quando visse Maria. (Páginas 544/546)

Não tenho como terminar a resenha a não fazendo um pedido ao santo: São Lucas, rogai por nós!

Bom fim de semana a todos, com muita leitura!













Dados do livro

Nome: Médico de homens e de almas
Autora: Taylor Caldwell
Editora: Record
Páginas: 700



36 comentários:

  1. Marcos, você caprichou na resenha de hoje!
    Fiquei encantada com a riqueza de detalhes, viajei na narrativa que parece ser muito bem elaborada, por sinal. A vida do apóstolo São Lucas é muito interessante. Um verdadeiro exemplo de fé, força e coragem.
    Não é um livro que tenho o costume de ler, porém gostei do que li na resenha, gostaria de fazer a leitura e fugir um pouco da minha zona de conforto.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alessandra! Obrigado por comentar!
      espero que o "viajei" do seu comentário não tenha sido de ficar perdida graças ao tamanho da resenha!
      hahahahahaha
      Brincadeira! eu entendi! =)
      Mas então, ler algum livro que sai da nossa zona de conforto faz um bem danado, faz a gente aprender! Concorda comigo?

      Excluir
  2. Marcos,essa sua resenha foi muito especial,gostei muito dela,pois ela falou sobre o Apóstolo e Evangelista Lucas ou Lucano.Homem verdadeiramente escolhido por Deus para uma grande Missão que é o evangelismo.Ele se tornou um médico e isso também foi um grande diferencial em sua trajetória.Achei muito especial por parte da autora a enorme pesquisa que levou 46 anos para escrever essa obra tão singular.Ainda bem que através da saudosa dona Iza você tenha tido a oportunidade de conhecer a obra.Bjs!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aciclea!
      Valeu pelo comentário!
      Sim, a Dona Iza foi um referencial educacional para mim. Acho que todos temos uma pessoa assim, né? E no fim das contas, foi ela quem me apresentou Lucano.
      Pois é, por fazer uma obra durante 46 anos, quase toda uma vida, é sinal de que a obra é mesmo boa!

      Excluir
  3. Oi, Marcos!
    Linda a história de como sua família conheceu esse livro até você tê-lo em mãos. É realmente triste perdermos pessoas especiais para nós, eu mesma já perdi, então sei o que sente.
    A história é realmente linda e sempre é maravilhoso nos aprofundarmos no conhecer da palavra e da vida dos homens que foram escolhidos por Deus desde o ventre e marcaram a vinda de Jesus de alguma forma, seja realizando milagres com Ele ou apenas os registrando, como fez São Lucas. Fiquei encantada pela forma que esse livro foi escrito. Mais de 40 anos para se produzir uma obra, por certo, é a história mais bem feita e escrita desse gênero. Espero ter a benção da oportunidade de ler esse livro magnífico!
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karine Maria!
      A história é realmente bonita mesmo! Virei fã da autora. Agora quero ler todos os livros dela
      E o pior é que os livros dela não são nada baratos!
      hahahahahah
      obrigado por comentar!

      Excluir
  4. Oi Marcos gostei muito da sua resenha, mesmo esse livro não sendo o tipo de gênero literário que costumo ler eu fiquei curiosa em relação ao livro já coloquei na minha lista de leitura bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!
      fico feliz que você tenha se interessado pela leitura do livro!
      Tomara que um dia você possa lê-lo também!
      Obrigado pelo comentário! =)

      Excluir
  5. Estou digitando com os pés porquê com as maõs estou aplaudindo essa resenha. Primeiramente queria dizer que estou sem palavras pra descrever o que sinto após essa resenha, não sou de ler livros religiosos porém as suas palavras fez eu querer ler esse livro. Gostei bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. khfsdksjfskdhfsjdflhsdd jffdjhlkdjfhkg
      E eu digitei isso com os cotovelos. Não tô brincando! É sério!
      Obrigado pelo comentário, Micaela! O livro não é só religioso, mas uma história muito bem construída também!
      Até a próxima!

      Excluir
  6. Caprichou na resenha. Não sou muito de ler esse tipo de livros, então não sei se leria não, mas mesmo assim adorei a sua resenha e sei que muito gostaram, inclusive vou indicar a leitura para o meu pai que gosta de livros religiosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Brenda!
      Obrigado por vir comentar!
      Indica para o seu pai sim! Mas como eu disse acima, o livro não é só religioso. A história é um ótimo entretenimento também!

      Excluir
  7. Que feliz um blog que fala da verdadeira fé! Eu também sou cristã católica apostólica romana, e esse ano estou me interessando mais por livros religiosos! Não conhecia bem a história de São Lucas, mas pude entender mais pela resenha. Impressionante a parte que ele fala de Nossa Senhora! Vou colocar esse livro no Skoob pra lembrar dele, e se tiver a oportunidade, ler!

    Resenhei um livro chamado Teshuvá lá no blog, de uma autora católica. Vê lá o que tu acha!

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. E que feliz encontrar um comentário de uma católica! Volte sempre, Clara!
    E sim, a parte que Lucano fala de Nossa Senhora e a que ele a encontra são fenomenais!
    Obrigado pelo comentário e eu vou lá visitar o seu blog com toda a certeza!
    =)

    ResponderExcluir
  9. Gostei bastante da resenha, bem detalhista e recheada de informações e embora eu não leia muito livros de religião, fiquei curiosa com a leitura.

    ResponderExcluir
  10. Meus olhos estão cansados rss. Leio alguns de padres, mas estória assim nunca li. Parabéns por resenhar esse tipo de livro, embora, esse não tenha me chamado a atenção.

    ResponderExcluir
  11. Oiiiee Marcos, tudo bom?
    Que linda resenha, eu como você e a Mari, sou católica apostólica romana, sempre procuro ler livros religiosos para me ajudar amadurecer na fé, esse com toda certeza é maravilhoso, eu ainda não o conhecia, mas irei coloca-lo na minha lista de leitura, estou amando conhecer o blog, por esse diferencial em resenhar livros diversos como por exemplos os religiosos.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  12. Legal a resenha é interessante a leitura para quem tem curiosidade e gosta de estudar sobre o assunto, mas eu no momento eu passo.

    ResponderExcluir
  13. Caramba... seis décadas escrevendo um livro. Dá para ver que o trabalho de quem o fez realmente foi profundo, né? O trabalho de uma vida. Infelizmente não é o tipo de leitura que me agradaria, mas acho que tem tudo para ser uma obra enriquecedora para quem gosta do assunto.

    ResponderExcluir
  14. Oi Marcus!
    Não sou muito de ler livros religiosos, mais achei bacana você compartilhar conosco como o livro chegou até você e o carinho que você tem ao lembrar da Dona Iza que emprestou o livro para sua mãe e ela por sua vez resolveu compra-lo mais tarde. Mesmo que não seja o mesmo livro, ainda tem esse valor simbólico. Os quotes escolhidos são muito lindos! Obrigada por compartilha-los.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Adorei a resenha ainda mais sendo sobre São Lucas, conheço um pouco da historia de São Lucas, mas adorei como o livro nos conta a historia dele é bem completa achei varias coisas que ainda não sabia e gostei muito desse espaço no blog para falar de livros religiosos !!

    ResponderExcluir
  16. É um livro interessante.Da pra ver que a autora pesquisou e estudou bastante sobre a vida do Apóstolo Lucas,e cumpriu o papel que se dispôs a fazer ao escrever sua trajetória de vida,não deixando nada de fora.

    ResponderExcluir
  17. adorei a resenha,achei muito interessante.
    fiquei super curiosa,com certeza vou ler ;)
    muito legal a obra,repleta de informações...vou colocar na minha lista de leitura desse ano.

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    adorei sua resenha, bem escrita e detalhada. Parece ser um livro interessante, percebe-se que a autora estudou bastante antes de o escrever. Vou tentar ler esse ano. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi Marcos tudo bem
    Eu não acredito que alguém leu esse livro!!! Eu li esse livro quando estava na escola e ele me marcou muito. Primeiro a narrativa da autora é viciante e tão crível, mas tão crível, que eu me senti lá com eles. Eu senti toda a dor de Lucas, toda a revolta dele. Me emocionei várias vezes. É uma história lindíssima, recomendo a todos, vale muito a pena. Adorei sua resenha e espero ter a oportunidade de ler outros livros da autora.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Marcos, tudo bem? Eu passaria bem longe desse livro se não fosse pelo seu texto, sabia? E acredito que isso possa acontecer com grande parte das pessoas que passem por aqui (pelo menos aquelas que tomarem um pouquinho do seu tempo para ler com carinho).
    Fiquei interessada na leitura, de verdade! E gostaria muito que a minha avó também o lesse, mas ela está com problema na visão. Você sabe se existe audiobook dele?
    Beijo grande,
    Monalisa
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Esse não é o tipo de livro que estou acostumada a ler, mas após ler a sua resenha (que por sinal está ótima!) confesso que fiquei bastante interessada em conhecer a história. O que me chamou atenção foi o fato de misturar ficção e realidade, apresentando fatos históricos de uma forma romanceada.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  22. Olá... Marcos, tudo bem??
    Eu gostei muito da sua história... de como o livro finalmente foi parar na sua estante... que alguém muito especial o apresentou a sua mãe e ela se encantou...achei maravilhoso.. Eu gosto de romances religiosos, mas não são todos que chamam a minha atenção... até hoje só li dois livros... o mais recente foi Acima de Nós e se tornou o meu favorito... eu geralmente não curto essa temática que você apresentou, pela sua descrição, você aproveitou muito a leitura e o conhecimento adquirido na obra... Xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Marcos,

    Nossa, você se empolgou mesmo com essa resenha, hein? Dá para ver quando o livro marca a pessoa pela forma como ela escreve sobre ele. Adorei a sua historia com São Lucas e vou indicar o livro para meu pai. Ele adora essa temática religiosa. Confesso que livros de espiritualidade não são os meus preferidos, apesar de ser católica.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  24. Oi, Marcos
    Acho que um blog deve mesmo ser diferenciado nessa questão de religiosidade, ainda mais quando cremos em algo, devemos testemunhar o amor de Deus. Eu leio alguns livros religiosos pois adoro, e percebo pelos comentários que as pessoas não são muito ligadas nesses livros, o que lamento muito.
    Sou católica e ainda não conhecia esse livro, acredito que ele deva ser muito enriquecedor e cheio de detalhes. Apesar de ser católica, eu tenho um pensamento um pouco diferente: só creio na santidade de Jesus, e que Ele dá a graça para que outras pessoas possam curar, portanto só Ele cura. Mas respeito a opinião de todos, afinal quase toda minha família é católica. Não sei se leria o livro por causa disso, mas gostaria de conhecer um pouco da vida dele de qualquer forma. Uma ótima dica, sem dúvidas. Traga mais livros assim para o blog :)

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Oi Marcos,
    Realmente, deu para perceber o quanto a história de São Lucas mexeu com você. Sua mãe acertou em cheio no presente. Achei interessante você começar falando um pouco sobre si mesmo, e como a perda da amiga de sua mãe mexeu com vocês. Acho que as perdas são o que mais nos fazem questionar a vida e a fé.
    Vou indicar o livro para minha mãe, crio que ela vá gostar muito.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oi Marcos, tudo bem?

    Parabéns pela resenha, esta incrível. O livro realmente parece belíssimo e realmente para ler com os olhos da fé e do coração. Gostei bastante de saber o quanto o livro significou para você e como foi a sua história com ele. Uma história de fé, vida, questionamentos, perdão, e fazer o bem. Parece ser um livro que todos deveriam ler, independentemente da religião.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima || Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  27. Olá Marco tudo bem, eu acho importante a resenhas de livros, eu fui batizada na igreja católica mas não sigo a religião, mas respeito. Sobre o livro a a espiritualidade que ele transmite é importante, mesmo eu não lendo ele no momento sua resenha está perfeita. Abs

    ResponderExcluir
  28. Oi Marcos, tudo bom?
    Nossa, sua resenha ficou bem grande, mas só demonstra o quanto esse livro foi importante para você. Sou católica, mas atualmente não tenho ido a igreja. Vou indicar esse livro para minha mãe porque ela gosta de leituras que falem sobre espiritualidade.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Ganhei esse livro de presente recentemente e acabei de ler. Foi comprado em um SEBO por $10,00. Foi um dos melhores presentes que ja ganhei. Ele é simplesmente maravilhoso. Fiquei fascinada com a riquesa dis detalhes, com a amarração da história. Mas principalmente com a história dele e o trabalhar poderoso de Deus pra atrai-lo pra Si. Foi uma verdadeira viagem ao meu interior tbm. Muitas lágrimas e a certeza de que o Senhor trabalhou em minha vida tbm por intermédio dessa leitura. Abçs

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.