segunda-feira, 6 de julho de 2015

Resenhas: Star Wars - Kenobi

Olá amigos do Cantinho!

Bom dia!

Não sei se vocês perceberam que eu e a Mari estamos meio distantes do Cantinho nesses últimos dias. Faz duas semanas que não atualizo minha coluna semanal às quartas-feiras. Esse post de hoje também foi antecipado para hoje, segunda-feira por um motivo que tem explicação: é que tanto eu, como a Mari vamos prestar uma prova importantíssima no final de agosto e estamos em ritmo de preparação alucinante. 

Por causa disso, substituímos as leituras um pouquinho. Ao invés dos romances de época apimentados açucarados da Mari e os meus romances históricos de que tanto gosto, nós colocamos as leituras técnicas de Direito em primeiro lugar em razão do exame.

Mas logo estraremos de volta. Na primeira semana de Setembro nós estaremos de volta no blog com a mesma intensidade de antes. Talvez até antes, é possível supor que até mesmo no final de agosto nós já estejamos de volta, porque não conseguimos ficar longe do Cantinho!

Nós não vamos abandonar vocês, fiéis amigos e também o nosso blog!

Daí antes desse intervalo, eu resolvi vir aqui trazer para vocês a última resenha de antes dessa minha pequenina ausência. E para fechar com chave de ouro, mais um livro da saga Star Wars, que vocês sabem e não é novidade para ninguém, que eu sou um completo apaixonado!

Só para variar um pouquinho, ganhei esse livro da Mari no dia dos namorados, no mês de junho desse ano. Foi uma surpresa e tanto, afinal de contas, nem imaginava que ela estava procurando esse título para me presentear! Mesmo sabendo que a prova se aproximava, eu não resisti e comecei a ler a história de Obi-wan Kenobi instantaneamente e terminei a leitura em apenas 4 dias.

Vamos a resenha!

O que diz a contracapa:


Star Wars: Kenobi - A República foi destruída, e agora a galáxia é governada pelos terríveis Sith. Obi-Wan Kenobi, o grande cavaleiro Jedi, perdeu tudo... menos a esperança. Após os terríveis acontecimentos que deram fim à República, coube ao grande mestre Jedi Obi-Wan Kenobi a missão de proteger aquele que pode ser a última esperança da resistência ao Império. Vivendo entre fazendeiros no remoto e desértico planeta Tatooine, nos confins da galáxia, o que Obi-Wan mais deseja é manter-se no completo anonimato e, para isso, evita o contato com os moradores do local. No entanto, todos esses esforços podem ser em vão quando o “Ben Maluco”, como o cavaleiro passa a ser conhecido, se vê envolvido na luta pela sobrevivência dos habitantes de um oásis esquecido no meio do deserto e em seu conflito contra o perigoso Povo da Areia


O que eu achei:

Em primeiro lugar, é preciso dizer que Obi-wan Kenobi é um dos principais personagens da história de Star Wars. Presente em praticamente todos os filmes, treinou Anakin antes de ele virar Darth Vader e depois também orientou o filho de Anakin, Luke Skywalker. Sua importância na história é grandiosíssima e, por causa disso, merecia mesmo um destaque especial durante a época do exílio Jedi.

Detalhe da capa do meu exemplar, mostrando Ben Kenobi
Exatamente, caros leitores que são fãs de Guerra nas Estrelas. O exílio Jedi. O livro Kenobi narra a história de como Obi-wan foi parar no planeta Tatooine após Anakin Skywalker se transformar em Darth Vader e a República sofrer o golpe que deu início ao Império Galáctico.

Ewan McGregor interpretou Obi-Wan Kenobi
mais jovem nos três primeiros filmes: percebam
como o desenho da capa parece ter sido inspirado
nas feições do ator escocês.
Quando eu peguei o livro pela primeira vez, achei que a história seria desde o nascimento do Obi-wan e como ele teria sido na infância até chegar na sua velhice. Mas não. Na trama, Obi-wan já é Jedi e o Império já domina a cena política da galáxia. Então, para não terem essa falsa impressão, já digo que o romance inicia-se com a queda da República e a obrigação de Obi-wan em partir para a orla externa da galáxia num castigo forçado de se esconder em Tatooine, fugindo do Império. Então, o livro se passa nos anos compreendidos entre os filmes III (A vingança dos Sith) e IV (Uma nova esperança).

Alec Guinness como Obi-Wan mais velho e na
companhia de Luke Skywalker
Logo no início também se nota a nova obrigado do Jedi, que é proteger Luke Skywalker, o gêmeo menino entregue para a família Lars, para ser criado por eles. Acreditando firmemente que Luke seria a esperança contra o Império, Obi-wan decide fixar-se em Taooine para, além de esconder-se, permanecer protegendo, ainda que de longe, o menino Luke com sua nova família.

Interessante notar que ainda no início da obra, o autor mostra como Obi-wan é chamado de Ben e passa a ser conhecido por esse nome. E quando vimos o filme IV, Uma nova esperança, Obi-wan é chamado de Ben. O autor lembrou-se de trazer essa nuance, que serviu também como disfarce contra o Império.

Um marcador de livro em forma de sabre de luz veio junto com o livro!
Por falar em detalhes, nuances, tem-se que parabenizar o autor pela inclusão de vários elementos e recursos existentes na história, como os Jawas, o Povo da Areia, menções a Alderaan e outras coisas relacionadas a isso.

Obi-wan se estabelece no deserto de Jundland e mora perto do oásis. No oásis ele conhece a viúva bonita Annileen Calwell, dona de uma loja de departamentos e seus dois filhos adolescentes: Kallie e Jabe

Tatooine não é o mundo mais agradável e divertido para viver, como se pode ver nos filmes. O ambiente inóspito, desértico graças aos dois sóis existentes naquela planeta fazem com que a vida naquele oásis não tenha tanta graça. Annileen vive seus dias de forma monótona junto de seus filhos e de outro personagem importante na trama: Orrin Gault. Esse último foi o melhor amigo do marido falecido de Annileen e participa bastante da vida da viúva, juntamente com a sua família.
Nessa pequena comunidade de colonos, fazendeiros de umidade é que as coisas acontecem.
Detalhe com uma landspeeder em cada início de capítulo.
Orrin Gault criou um sistema de proteção dos fazendeiros, que seria uma espécie de exército contra as incursões dos Tuskens contra os moradores da região. Para quem acompanha Star Wars e está bem habituado na saga, entende que os Tuskens são o Povo da Areia, os misteriosos seres que vivem no deserto de Tatooine e que tem uma relacionamento nada amistoso com os seres humanos.

A proposta do livro é dinâmica ao mesclar a ação que é inerente aos livros de Star Wars com o drama das personagens e o lado humano delas. Um dos pontos altos do livro é a maestria do autor em contar a história de A'Yark, ou Olho de Rolha, uma Tusken fêmea, mãe e guerreira. Sinceramente, mesmo sendo fã de Star Wars, nunca tinha enxergado o Povo da Areia dessa maneira, como indivíduo que sente e manifesta seus desejos de uma forma longe da barbárie que sempre são atreladas aos membros do Povo da Areia.

No livro, há capítulos destinados a contar a história pela ótica da A'Yark e são todas interessantes. Não tenho como não avaliar como sensacionais as partes em que Obi-wan conversa com A'Yark. Detalhes como o modo de viver do Povo da Areia chamou bastante a minha atenção durante a leitura.

Dois sóis, deserto e a sombra de uma casa à esquerda: a primeira página do livro mostra um típico lugar do planeta Tatooine
Os capítulos são pequenos, não passando de mais de 5 laudas. Isso facilita a leitura e dá a quebra ideal e uma pausa na história para você absorver o conteúdo.

Não se impressionem pelo tamanho do livro. 528 páginas passam bem depressa com a apresentação dessa história tão bem contada pelo autor. Admito que no início achei-o um pouco maçante, decerto porque o autor primeiro nos apresenta os personagens, descrevendo Annileen e seus filhos, Orrin e seus filhos, os outro colonos para então só depois incluir Ben na história. Mas o livro se torna extremamente interessante a partir da página 50 até o final. 

Outro fator positivo é que você não precisa ser muito fã de Star Wars para entender o livro. Basta saber que o Ben permanece no planeta para ficar de olho em Luke e o resto se desenrola naturalmente. Há até um flerte e princípio de romance entre Ben e a viúva Annileen, que até nos faz torcer por uma união do Jedi, mesmo sabendo que Jedis são como padres, não podem se casar.

Poderia falar por horas entre os dois personagens, entre o Obi-wan Kenobi, o grande mestre Jedi que sempre procura ajudar alguém devido a sua grandeza de caráter e sua magnânima vontade de ajudar e o humilde Ben Kenobi, o eremita desconhecido que precisa viver escondido do Império. Até isso é dividido de forma hábil pelo autor. Em geral, a obra atende as suas finalidades, que são de entreter e contar uma boa história.

"Ajude-me, Obi-wan Kenobi, você é minha única esperança"

Para finalizar, uma parte bonita do livro, que mostra a bondade do Obi-wan e sua necessidade de fazer o bem:

– Você não vai conseguir que eu tenha pena dos Tuskens – Annileen disse, indignada. 
– Toda vida é sagrada. Até mesmo a que aparece em formas que não compreendemos.



Classificarei esse livro no Skoob como um dos meus preferidos.

Até o mês de Setembro, meus amigos!








Dados do livro

Nome: Star Wars - Kenobi
Autor: John Jackson Miller
Editora: Aleph
Páginas: 528

9 comentários:

  1. Olá, Marcos!
    Gosto muito de Star Wars, mas confesso que não conheço tudo do universo da saga. Eu não tenho os livros da Aleph ainda, mas desejo já há um tempo. Só tenho a trilogia da Dark.
    Sobre os aspectos que você pontou, o que mais me chamou atenção foi a questão da valorização da vida de seres diferentes. É tocante. Nos faz lembrar do momento atual, sobre respeitar as diferenças em nossa sociedade. Outra questão interessante é o conflito interno de Ben, homem de boa índole.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. OI Marcos..
    Sei como é alguns períodos em que temos que deixar algumas coisinhas de lado, para cumprir outras.
    Se a história é bem desenvolvida e boa eu não me importo com o número de páginas. Ainda não li nada de Star Wars, uma pena, pois todos falam muito bem. Feliz em saber que não precisa ter acompanho muito esse universo para entender.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Acho que para entender este livro, tem que ler todos os outros. Então, lendo sua resenha fiquei perdida, já que não conheço nada sobre Star Wars, rs.
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Marcos!
    Ai não consigo gostar desta série, pode me julgar pq nem dei uma chance, mas prefiro não arriscar, mas que eu queria este marcador que brilha no escuro eu queria rsrsrsr!
    Bjos
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  5. Olaaa
    Sua resenha esta ótima e tenho muitos amigos que adoram Star Wars mas nao é meu caso então vou deixar passar a dica

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  6. Nossa Marcos que resenha cheia de sentimentos, adorei, dá para sentir que vc realmente gostou da leitura. Isso é empolgante de perceber, muitos blogueiros parecem máquinas de fazer resenhas e esquecem de escrever com sensibilidade e expor sua opinião, o que realmente importa quando lemos uma resenha. Parabéns!!!

    Conheço pouco dessa história, o básico digamos assim, pq meu irmão é fã e tem os filmes. Mas sempre tive curiosidade para saber mais detalhes, essa série é uma ótima dica. Bom saber que esse livro em especial te agradou. Enfim valeu pela dica de leitura e sucesso no concurso!!! Até mais!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  7. oi Marcos, tudo bem?
    Tive quer rir muito do seu comentário sobre os livro açucarados (não apimentados) da Mari. Também amo esses livrinhos!
    Bons estudos, estou torcendo muito pelos dois!
    Eu gosto muito de Star Wars, e adoro o Obi-wan, mas não ao ponto de ler os livros, rs. Mas acho legal mostrar essa fase dele disfarçado, porque nos filmes vemos os acontecimentos antes e após esse exílio, e sobre ele, temos apenas alguns comentários
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Muito bom ganhar livro de surpresa, ainda mais um que vc esperava tanto. E a gente entende essa ausência, às vezes é preciso parar pra se dedicar a outros projetos. Boa prova pra vcs!
    Star Wars não é minha praia, já vi há um bom tempo, mas nunca consegui gostar tanto. Quero até rever os filmes pra saber exatamente por que não gosto. Mas daí a "perder" tempo lendo é demais, fico só com os filmes mesmo. rsrs
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Bom saber que a história não agrada apenas aos fãs e que não precisa ser fã para ler o livro. Não tenho muito interesse nessa série, mas acho interessante como existem materiais sobre ele.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.