quarta-feira, 6 de maio de 2015

Resenha - Herdeiros do trono

Olá amigos do Cantinho!

Bom dia!

Finalmente hoje trago para vocês a resenha de uma autora amiga e parceira do nosso blog.

Recentemente a autora brasileira Elysanna Louzada foi anunciada aqui no blog como a mais nova parceira do Cantinho de Leitura da Mari, o que nos gerou uma enorme alegria.

Também fiquei na expectativa em receber o livro dela e logo que ele chegou, tratei de lê-lo o mais rápido possível, em respeito a parceria firmada.

Então ela gentilmente nos cedeu um exemplar da sua ficção Herdeiros do trono, uma história de nobres cavaleiros, busca pelo poder, um reino em decadência graças a um líder injusto e quatro jovens sonhadores. Admito que essa mistura me chamou muito a atenção!

Para quem não se lembra, semana passada publicamos a entrevista com ela, que rapidamente respondeu às nossas questões com muito carinho! Desde já gostaríamos de agradecê-la pela disponibilidade!


Já me estendi muito. Agora vamos a resenha!

O que diz a contracapa:


Petra é um mundo moldado pelo Deus Criador a partir da energia cósmica do universo, em que doze reinos foram unidos para serem governados por um único rei e uma única rainha. Justiça, amor e obediência às Leis da Criação eram os requisitos necessários a esses governantes. Enquanto essas virtudes permanecessem intactas, Petra seria um lugar de paz. Uma guerra pelo poder, deflagrada pela Primeira Rainha, no entanto, abalou o Reino Unido. O Primeiro Rei e seus fiéis cavaleiros derrotaram a monarca, mas o equilíbrio inicial não poderia ser novamente restabelecido sob as mesmas bases.

Milênios se passaram e as histórias dos Cavaleiros Sagrados foram tomadas como narrativas fantásticas. De todas as tradições esquecidas, entretanto, uma permaneceu intacta: todo monarca de Petra precisava sagrar-se cavaleiro para ser coroado. Por isso, uma única instituição no Reino Unido atravessou os milênios, inabalável: a Academia de Cavaleiros. Uma escola militar na qual Pedro, Eloise e Isabel sonhavam estudar. Ao contrário de Tommy, um jovem pugilista que desprezava a instituição.

O que eu achei:

Em primeiro lugar, tem-se que parabenizar a editora por fazer um livro tão forte e que seja tão resistente. Abri o livro cedido pela autora e ele continuou firme, bem como a capa, que não entortou, tampouco ficou deformada. Fisicamente, um livro muito bom.

Detalhe do canto inferior direito do livro
E não só fisicamente falando, mas o conteúdo é também digno de merecidos aplausos.

Isso porque ele consegue prender do início ao fim. Quem lê o que eu escrevo aqui no blog, sabe que só agora estou deixando de lado o receio que tinha com a literatura nacional. É que eu li alguns títulos tão medonhos e pavorosos, que eu passei a evitar livros de autores brasileiros. 


Mas isso ficou no passado.


Em 2014, eu li a ficção científica "Cisne. Uma geração. Todas as decisões", da autora gaúcha Eleonor Hertzog e fiquei boquiaberto pela qualidade. Quem quiser conferir a resenha feita pela Mari, basta clicar aqui.


Depois, o receio se esvaiu ainda mais após eu ter lido o drama muito bem escrito intitulado "Fugitivos", do mineiro Carlos Henrique Barros, cuja resenha feita por mim pode ser encontrada aqui


E agora, vi com a a fantasia "Herdeiros do trono", que há autores nacionais muito competentes. E nos mais variados gêneros. Li só esse livro, mas tornei-me fã da Elysanna Louzada. Isso porque para escrever fantasia, é necessário muito cuidado: o autor deve ser original, para não correr o risco de parecer uma imitação de outrem. E ter o dobro de cuidado ao escrever, a fim de evitar deixar a imaginação rolar solta e o autor perder a mão da historia, criando e inventado coisa demais e depois sem condições de integrar na ficção o que foi criado. E a autora teve justamente esses cuidados, meus leitores. 


Explico.


É que a autora conseguiu mesclar um enredo forte que narra a história de quatro jovens que decidem abraçar o seu destino com a originalidade de alguns termos que temperam a história, como a mal cheirosa e singular "flor de tíssia", a "droga da loucura", o "Torneio de Bravura", dentre outros. Em resumo, uma obra que se pode dizer: foi bem feita e tudo na medida certa.


Antes de analisar a história e mostrar a vocês tudo o que encantou no livro, eu preciso falar do exemplar que eu recebi, com uma dedicatória muito gentil, desejando uma boa leitura. Acredito piamente que notar esse carinho dos autores conosco, através de uma dedicatória amável já faz aumentar a vontade de ler o livro. Que surpresa agradável ao pegar o livro com a Mari a ao abri-lo me deparar com a dedicatória, cuja foto está logo aqui abaixo.


Um pequenino gesto que demonstra tanto carinho.
A história gira em torno sempre dos quatro protagonistas: o casal de irmãos Pedro e Eloise (que depois de algum tempo o leitor descobre que tem o sobrenome Belmonte) e o outro casal de irmãos Isabel e Tommy Fernandez. Os quatro são amigos desde pequenos e foram criados praticamente juntos.

Os quatro protagonistas vivem no reino de Petra. Petra na língua latina é correspondente a Pedra. É a terra, a rocha em que é sedimentada toda a vida humana feita pelo Pai Criador, que é como os personagens chamam a Deus no livro.


É interessante ver essa associação de elementos inseridas na história pela autora. A terra nada é além da pedra onde se instalou a vida criada por Deus. Ainda nisso, vê-se que há na história bastante elemento religioso. O Pai Criador é Deus que fez a terra e também a vida humana. Os personagens o invocam e creem firmemente na sua natureza transcendental. É possível ver isso em várias passagens do livro, o que é bastante crível. Não se veem comumente livros que passam esse tipo de valor. E nisso ele se destaca ainda mais.


Continuando no resumo da história, os quatro adolescentes estudam na escola preparatória de Tamísia e vivem numa época de profundas instabilidade política. Os mestiços, que são os indivíduos que não possuem o sangue puro dos gazares e são considerados cidadãos de segunda classe, são frequentemente excluídos e segregados. É impossível ler trechos assim e não relacionar com o início da política racial da Alemanha nazista ocorrido a partir de meados da década de 1930, quando os judeus, ciganos, poloneses e outros seres humanos eram empurrados para os guetos.


Então, em meio a esse cenário, Pedro, Eloise e Isabel desejam entrar para a Academia de Cavaleiros, a única instituição que permaneceu íntegra diante das corrupções que viraram rotina em Tamísia, como a disputa pelo poder e o golpe pelo reinado.



Meu exemplar!
Ocorre que eles descobrem um segredo do passado e os quatro resolvem descobrir mais informações sobre isso e, para tal, vão até a terra dos anões. Lá eles entendem seu papel no mundo e decidem enfrentar os perigos que os esperam.

Aqui, preciso fazer uma pausa: é que a terra dos anões me deixou fascinado. É aí que vemos como a autora consegue traduzir em palavras o poderio da sua imaginação. Os anões são o povo de Petra responsável pelos avanços tecnológicos. Graças a esses estudos e conhecimentos, fizeram de seu reino uma verdadeira fortaleza, isolando-se dos demais povos. Isso sem contar que ali na terra dos anões a história ganha outro rumo. Nesse ponto, digno de menção a descrição dos treinamentos dos jovens e da batalha ocorrida na terra dos anões pela autora. Ao ler as cenas, me vi assistindo as lutas como se estivesse do lado. 

E depois de trazer fantasia, criar um reino novo, valores como religiosidade, incluir anões na história e trazer o leitor para uma época que se assemelha a medieval, Elysanna Louzada ainda teve a brilhante idéia de colocar um singelo romance entre os personagens Tommy e Eloise. Isso deixa a história mais leve e não fica tudo focado apenas na trama principal. E o amor deles é bem sutil, nada carregado. Ponto positivo para a autora, que soube pender na balança mais a moderação e sobriedade dos romances da época medieval do que os impulsos dos adolescentes apaixonados. Então, está correto que exista em um romance desse gênero, apenas beijos entre os personagens. Leitor: não espere nada além disso.



Depois de tudo isso que eu citei acima, só posso concluir com uma constatação: Herdeiros do trono foi o melhor livro que eu li em 2015!

Espero firmemente que a continuação mantenha a qualidade dessa primeira parte! E desejo a autora todas as bençãos do Pai Criador, o Deus de amor que tudo cria. Que ela também possa criar mais histórias bonitas e encantadoras para nós leitores!


E vocês? Gostam de livros de fantasia?

Coloquem nos comentários qual o livro desse gênero que vocês mais gostam!

Até semana que vem!









Dados do livro:

Nome: Herdeiros do trono - vol. I
Autora: Elysanna Louzada
Editora: Ases da Literatura
Páginas: 352


11 comentários:

  1. Quero muito ler esse livro!

    ResponderExcluir
  2. Oi pessoal,
    Acabei de ler a resenha e, nossa!, estou muito feliz.
    Que bom que gostaram do Herdeiros do Trono.
    Obrigada pelo carinho. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Gostei bastante do enredo, muito interessante. Ainda não conhecia a obra mas fiquei contente em ter acesso a sua resenha, é mais um livro que vai pra listinha rsrs
    Parabéns pela resenha, sucesso.

    BJOS!
    http://luadeneonblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oláá
    Adorei a resenha, muito boa, o enredo do livro é ótimo mas não sou muito fã sobre livros desse gênero, mesmo assim, ótima dica para quem goste.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  5. Olá Marcos,
    Eu super compreendo você, também tnha um receio enorme por livros nacionais. Até porque tem alguns autores que plagiam tão descaradamente e a estória acaba sendo fraca.
    Mas pelo que você falou desse livro, ele já entrou para a minha lista.
    Adoro livros desse gênero rs
    Adorei o post.

    Abraços
    https://itgeekgirls.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  6. Olá Marcos, tudo bem?

    Eu sempre li livros nacionais e sempre gostei muito, mas devido as coincidências de várias histórias se parecerem com as outras, eu meio que desanimei, porque sempre seguem uma linha e pronto, especialmente os fantásticos. Os hots eu nem falo nada porque são só Deus. Bom, mas graças a Deus que existem autores nacionais que escrevem divinamente bem como a desse livro que você acabou de resenhar e dos outros que citou acima. Eu tenho lido muitos livros bons, apesar de ter lido uns que nossa senhora.

    Mas enfim, esse livro que você resenhou me pareceu ser meio épico, ter essa pegada meio medieval e eu gosto muito dessa característica em uma história. Amei a sua resenha, ficou muito bem construída e a dica já foi anotada porque eu não conhecia o livro e nem a autora.

    Abraços

    www.adorkable.com.br

    ResponderExcluir
  7. Tenho esse livro no meu Kindle e estou louca para lê-lo! Acho interessante o estilo de Herdeiros do Trono e não é a primeira vez que vejo elogios a trama! Espero gostar da leitura tanto quando você!

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  8. Uau marcos, melhor de 2015 já?
    Eu acho q n iria curtir a história e tb não curti a diagramação, mas botei fé no seu favorito, vou até procurar p ler!
    Bjos
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Marcos, tudo bom?
    Não sou fã de livros fantásticos, mas sua opinião sobre esse livro me deixou curiosa sobre a narrativa. A história tem vários elementos interessantes dos livros de fantasia e a autora soube pontuar isso muito bem no seu livro. Nunca li nada relacionado ao período medieval.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ei Marcos, tudo bem?
    Gostei da premissa do livro, mas é o tipo que só leio muiiiito de vez em quanto, rs. Fico feliz que você curtiu tanto assim a leitura, e realmente, temos alguns novos autores sensacionais
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. E ai Marcos beleza! Olha só me pergunto uma coisa da onde sai tanta imaginação para esses livros, eu curto muito e sua resenha despertou meu interesse! Show! Bjkas

    ResponderExcluir

Amigos leitores, sintam-se a vontade para comentar o post. Peço que, por favor, ao tecerem os comentários, não utilizem palavras e expressões que possam ofender os demais. Obrigada.